Nossos destaques da Degustação dos Vinhos de Portugal 2019

No dia 10 de abril Cervejas e Vinhos esteve presente no evento Degustação dos Vinhos de Portugal 2019, realizado no Mercure Florianópolis Convention Hotel.  Com a presença de 15 produtores, e mais de 120 vinhos disponíveis, certamente não conseguimos provar nem metade dos rótulos. Portanto nossos destaques representam apenas uma pequeníssima amostra. Vamos a eles:

Os dois brancos da Enoforum – Grupo Carmim (Alentejo) contavam com cortes semelhantes. O Reguengos Reserva Branco 2017 trazia Antão Vaz, Arinto e Gouveio, enquanto que o Régia Colheita Reserva Branco 2017 mesclava Antão Vaz, Arinto e Perrum. A principal diferença entre eles era o uso de madeira no Régia. Foi bem instrutivo realizar a comparação, sendo o primeiro mais fresco e cítrico, e o segundo mais complexo e encorpado. Ambos ótimos.

Da Casa Relvas (Alentejo) tivemos a oportunidade de experimentar um vinho que não estava exposto no stand. A enóloga Marta Galamba possuía uma garrafa guardada do Herdade São Miguel Pé de Mãe 2016, produção limitada que mescla Trincadeira, Castelão, Tinta Roriz e Aragonez. Um tinto alentejano típico, muito bem feito e saboroso.

Vinhos portugueses varietais não são tão comuns, de modo que quando vimos este Syrah ficamos interessados na hora. O Zavial Single Vineyard Reserva Syrah 2015 é proveniente da DOC Óbidos (situada no centro da região de Lisboa), e produzido pela Vidigal Wines (que possui vinhedos em boa parte de Portugal). Discussões à parte sobre ter ou não ter tipicidade, tratava-se de um vinho concentrado, com bom volume de boca.

De volta ao stand da Casa Relvas, provamos o ART.Terra Amphora Tinto 2017, cujo grande diferencial é ter sido estagiado por 3 meses em tina de barro (ânfora). Não é um vinho para todos os gostos, possuindo notas terrosas e resinosas, mas para quem busca experiências diferentes, é uma grande pedida. As uvas utilizadas são: Aragonez, Moreto e Trincadeira.

A Cartuxa (Alentejo) é uma das vinícolas mais conhecidas de Portugal, responsável pelo famoso Pêra-Manca. O rótulo Cartuxa Tinto Colheita 2015 (corte de Aragonez, Alicante Bouschet e Trincadeira) é uma espécie de “Baby Pêra-Manca”, logo podemos esperar um vinho com boa dose de elegância.

Partindo para os doces, nos direcionamos para o stand da José Maria da Fonseca (Alentejo e Península de Setúbal). Lá provamos o excepcional Alambre 20 Anos, um Moscatel de Setúbal perfeitamente equilibrado e complexo. Um espetáculo!

Finalizando a noite, após uma profusão de aromas e sabores, provamos uma trinca de Portos da Sogrape Vinhos (que possui vinhedos em diversas regiões de Portugal). Comparar um Porto Ruby com um Porto Tawny é sempre um ótimo exercício, mas o que realmente ficou na memória foi o delicioso Porto Ferreira Dona Antónia Reserva Tawny. Um show de intensidade e persistência!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *