Cervejas e Vinhos participa de degustação de Nebbiolo

Chegando em sua sexta edição, uma confraria de Florianópolis organizada por sommeliers e enófilos com qualificação WSET 3 e ABS/SC, realizou uma degustação tendo como tema a nobre uva Nebbiolo. Cervejas e Vinhos participou do evento e apresenta agora um breve relato sobre os vinhos conferidos, todos oriundos da Itália.

Nino Negri Rosso di Valtellina DOC 2011
Abrindo a noite tivemos um Valtellina, vinho da Lombardia que tem como uva principal a Chiavennasca, nome pela qual a Nebbiolo é conhecida na região. Sendo que neste rosso tínhamos no corte 10% de Pinot Nero. Infelizmente seus 8 anos de idade não contribuíram para sua qualidade, apresentando claros sinais de cansaço. Aromas de couro, cogumelo e anis eram presentes, e as características de sabor igualmente terciárias. Ficamos curiosos para provar um exemplar de safra mais recente.

Ricossa Barbaresco DOCG 2014
Considerado muito bom pelos confrades, este Barbaresco apresentou em seu nariz frutas vermelhas maduras e em compota, além de couro. Novamente um vinho com características terciárias, porém aqui, ao contrário do Valtellina descrito acima, a evolução era positiva. Mas com sua acidez média(-) e a fruta em boca se dissipando, julgamos que o vinho devia ser bebido imediatamente, não sendo adequado para mais envelhecimento.

Bric Cenciurio Barolo DOCG 2013
Iniciando a mini-bateria de Barolos, o Bric Cenciurio apresentou bastante complexidade com suas notas de rosa, cereja, couro, anis, terroso e especiarias como pimenta branca. Um vinho em evolução, demonstrando potencial para mais envelhecimento. Acidez e taninos presentes, frutado em boca, com final médio(+). Um ótimo exemplar da região mais famosa do Piemonte.

Pio Cesare Barolo DOCG 2013
Facilmente o melhor vinho da noite, e olha que o nível estava alto! Um Barolo com todas as características do estilo. Inconfundível aroma de barro / terra, café, couro e geléia de frutas vermelhas. Terciário e em evolução, com potencial para mais guarda. Acidez, taninos, álcool e corpo vigorosos, com final marcante. Excelente!

Costa di Bussia Barolo Reserva 2011
Mesmo levemente ofuscado pelo Pio Cesare degustado anteriormente, trata-se de mais um Barolo de primeira. Apresentou em seu aroma barro, couro, chocolate, cogumelo, rosa e frutas vermelhas. A madeira era bem mais perceptível do que nos outros vinhos (também pudera: são 36 meses de envelhecimento em barris de carvalho esloveno). Características de aroma e sabor terciárias, mas ainda em evolução, prometendo vida longa pela frente. Acidez, taninos, álcool e corpo semelhantes ao do vinho anterior, porém, com final não tão expressivo quanto.

Um detalhe importante: os três Barolos foram aerados em decanter por 1 hora cada antes de serem servidos.

O prato que acompanhou os vinhos e harmonizou super bem foi a pizza de Tartufina (creme de trufa, mussarela de búfala, abobrinha, roquefort, funghi e parmesão), um espetáculo!

A próxima edição da confraria, a ser realizada em outubro, será dedicada aos fabulosos vinhos húngaros Tokaji, e certamente publicaremos a respeito aqui no site. Até lá!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *