Saiba mais sobre a Maison Krug e sua linha completa de Champagnes!

Já publicamos um dossiê sobre Champagne aqui no site, e hoje vamos abordar aquela que, para muitos, é o maior nome da região.

A Maison Krug foi fundada em 1843 por Johann-Josef Krug, um imigrante alemão que chegou em Champagne em meados do século XIX. Ele começou trabalhando na Maison Jacquesson e, após sete anos, tornou-se sócio de Adolphe Jacquesson. Em 1841 Krug se casou com a cunhada de Adolphe, Anne Jaunay, e, um ano depois, deixou a casa em Chalon-sur-Marne para criar sua própria companhia em Reims.

Um dos segredos do Champagne Krug é a assemblagem dos vinhos que compõe o espumante. Johann-Josef possuía uma técnica excepcional de identificar e juntar os vinhos base, que foi mantida em família. Seis gerações se passaram e o estilo da casa se manteve, conquistando o mundo e alcançando o status de lenda. Mesmo com a venda em 1999 para o bilionário grupo LVMH (iniciais de Louis Vuitton Moët Hennessy; proprietária de várias casas de Champagne), o modo de produção continuou com a família Krug.

A linha Krug é composta por seis rótulos:

Krug Grande Cuvée
Krug Grande Cuvée é a recriação anual do sonho de Johann-Josef Krug de fabricar champagne da mais alta qualidade, todos os anos, independentemente das variações climáticas anuais. O Krug Grande Cuvée é sempre um blend de mais de 120 vinhos de pelo menos 10 anos diferentes, que conferem uma plenitude de sabores e aromas que seria impossível expressar com os vinhos de um único ano. Cada ano, uma nova Édition da expressão mais generosa do Champagne é criada.

Krug Rosé
Uma adição relativamente recente à casa, Krug Rosé é inspirado no sonho da quinta geração da família Krug de criar um champanhe rosé que não existia, e que pudesse ser recriado todos os anos. Combina elegância e ousadia de uma ampla seleção de vinhos com características frutadas de todos os tipos e notas picantes com amplitude e profundidade surpreendentes.

Krug Vintage
Um Krug Vintage é um “champagne das circunstâncias”, conforme descrito pelo fundador Josef Krug em seu caderno pessoal. Estes champagnes são blends dos vinhos mais expressivos de um único ano, realçados por uma estadia de mais de dez anos nas caves. Cada Krug Vintage celebra o caráter distinto de um determinado ano.

Krug Clos du Mesnil
Krug Clos du Mesnil expressa a pureza de um único lote de Chardonnay colhido em um único ano. Este vinhedo de 1,84 hectares, com vista para a igreja da aldeia, é protegido por paredes desde 1698. Ele está localizado no coração de Mesnil-sur-Oger, uma das aldeias mais icônicas de Chardonnay na região de Champagne.

Krug Clos d’Ambonnay
Krug Clos d’Ambonnay expressa a intensidade de uma única parcela de Pinot Noir colhida em um único ano. Clos d’Ambonnay é um pequeno terreno murado de 0,68 hectares, localizado no coração de Ambonnay, uma das aldeias mais ilustres de Pinot Noir em Champagne e a principal fonte de uvas da casa desde os seus primeiros anos.

Krug Collection
Krug Collection é a segunda revelação do tempo de um Krug Vintage e o auge da arte da sublimação do tempo. Um número muito limitado de garrafas de cada Krug Vintage é guardado em condições ideais nas caves enquanto esperam para florescer para uma segunda vida, revelando uma personalidade totalmente sem precedentes. A Krug Vintage recebe assim a sua rolhaa como Krug Collection, o segundo movimento arrebatador de uma obra já admirada.

O livro “1001 Vinhos Para Beber Antes de Morrer”, de Neil Beckett, lançado no Brasil pela Editora Sextante, traz avaliações de alguns exemplares Krug, e elas são de dar água na boca. O Clos d’Ambonnay 1995, por exemplo, é descrito como puro e complexo, “com forte aroma terroso, anis, croissant de amêndoas, frutas cristalizadas, flores brancas e mel de acácia, que, no final, transformam-se em damascos secos e alcaçuz”. Já o Clos du Mesnil 1979 é apresentando como um vinho impressionante, “com mineralidade marcante, e aromas e sabores de mel de acácia, damascos, flores brancas, café, baunilha e nozes”.

Site oficial: https://www.krug.com/

Bibliografia:
– 1001 Vinhos Para Beber Antes de Morrer – Neil Beckett – Ed. Sextante
– Vinhos Franceses – Guia Ilustrado Zahar – Robert Joseph – Ed. Zahar
– World Encyclopedia of Champagne & Sparkling Wine – Tom Stevenson – Wine Apreciation Guild
– Matéria da Revista Adega: https://revistaadega.uol.com.br/artigo/krug-vinicola-francesa-com-sangue-alemao_12480.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *