Saiba mais sobre a Patagônia Argentina e seus vinhos

A região vitivinícola da Patagônia Argentina compreende a Província de Río Negro e a Província de Neuquén. Tais zonas não se situam na região das montanhas de picos nevados; ao contrário, as adegas estão instaladas num oásis no deserto.

Em fins do século XIX, existiam alguns vinhedos em Río Negro, mas a era da viticultura se iniciou formalmente no começo do século XX, com a chegada dos imigrantes europeus.

Com vinhas situadas entre os 200 e 250 metros, a influência de arrefecimento aqui não é criada pela altitude, mas sim pela latitude. A área de Río Negro está no paralelo 39, equivalente a baía Hawke na Nova Zelândia. A menor altitude evita temperaturas muito baixas. O clima é continental temperado e seco. Os solos são aluviais.

Os ventos fortes do deserto constituem um desafio para os produtores daqui, mas a baixa precipitação (chuvas são raras) e uma grande amplitude térmica diária fazem com que as videiras tenham uma baixa incidência de doenças. O ar rarefeito corta o bolor e afasta os insetos. Os dias longos, com muitas horas de luz, e as noites frescas originam vinhos com sabores de fruta concentrada, mas fresca, e de acidez média a alta.

A Sauvignon Blanc, a Chardonnay, a Pinot Noir, a Malbec, a Cabernet Sauvignon e a Merlot são as principais castas cultivadas na Patagônia Argentina.

Río Negro segue sendo a mais tradicional região vitícola da Patagônia. Neuquén ainda está sendo explorada. Quando se avança pelo seu deserto, surge, aparentemente do nada, um grupo de edificações conhecidas como San Patricio del Chañar. Tal centro vinícola foi criado no final de década de 1990 por um pequeno grupo de empresários e com ajuda financeira do governo local. Importantes adegas, com tecnologia de última geração, fazem parte deste centro, como Malma, Saurus e Bodega del Fin del Mundo.

Principais produtores

Humberto Canale
Río Negro
Vinícola lider de Río Negro, fundada em 1909. Exporta mais sob o rótulo Black River.

Chacra
Río Negro
Vinícola pertencente a Piero Incisa della Rocchetta, sobrinho do Marchesi Incisa della Rocchetta, fundador do Sassicaia. É conhecido pelo seu Pinot Noir, concentrado e aromático.

Bodega del Fin del Mundo
Neuquén
Julio Viola foi quem criou as camadas irrigadas que tornaram viável a viticultura no deserto próximo a Neuquén. Em seu livro “Vinho Argentino”, Laura Catena conta uma de suas histórias favoritas sobre a Patagônia, que relata justamente a origem do nome “del Fin del Mundo”. Viola estava falando sobre seu novo projeto a uma enóloga francesa muito conhecida e, quando lhe descreveu o lugar, ela objetou: “Mas isso fica no fim do mundo”. E assim começou a germinar o nome da adega.

“O Malbec Reserva tem sido o melhor vinho, com maior equilíbrio do que o caro e carregado Special Blend. Mais baratos, Postales e Ventus são uma boa escolha.” (Hugh Johnson)

Infinitus (Domaine Vistalba)
Río Negro
Projeto que pertence à equipe formada pelo casal Diane e Hervé Joyaux Fabre, da Bodega Fabre Montmayou, de Mendoza.

Malma (ex-NQN)
Neuquén
Sofisticada vinícola que introduziu seus vinhos no mercado no ano de 2004. Possui consultoria do enólogo Hans Vinding-Diers, da Noemía.

Noemía
Río Negro
A dona, Noemía Marone Cinzano, é conhecida como proprietária do Castelo di Argiano em Montalcino. Seu enólogo, Hans Vinding-Diers, trabalhou na Patagônia nos anos 1990 e a incentivou a comprar pequenos vinhedos, que deram frutos em 2001. Diante dos volumes modestos, Vinding-Diers adotou o perfeccionismo e a contenção de gastos.

“O vinho principal é magistralmente equilibrado e durável, mas aqueles com menos dinheiro podem optar pelo segundo, J. Alberto, de fineza semelhante.” (Hugh Johnson)

Saurus (Família Schroeder)
Neuquén
Com a primeira colheita em 2003, este empreendimento faz parte do grupo que divide uma encosta com Malma e Fin del Mundo.

“Os melhores vinhos são embalados como Patagonia Select. Aqui, Cabernet e Malbec são bem resolvidos, e o Pinot Noir merece menção honrosa.” (Hugh Johnson)

Bodega del Fin del Mundo

Bibliografia:
– Compreendendo o Vinho: Explicando o Estilo e a Qualidade – Livro de Apoio da Qualificação de Nível 3 em Vinhos WSET (Wine & Spirit Education Trust)
– Enciclopédia do Vinho – Hugh Johnson – Ed. SENAC
– Os Segredos do Vinho – Para Iniciantes e Iniciados – José Osvaldo Albano do Amarante – Mescla Editorial
– Vinho Argentino – Laura Catena – Ed. Martins Fontes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *