Saiba mais sobre os vinhos das regiões de Savoie e Bugey, na França

Jura, Savoie e Bugey são três regiões francesas que costumam ser abordadas juntas nos livros sobre vinhos, devido a proximidade entre elas. Porém, como  consideramos o cenário vitivinícola do Jura bem diferente de Savoie e Bugey, decidimos tratar em posts diferentes. Quem quiser saber mais sobre o Jura, pode conferir clicando aqui.
.
Saboia, como é chamado em português, é um departamento da França localizado na região Auvérnia-Ródano-Alpes. Sua capital é a cidade de Chambéry. Já Bugey é uma das quatro regiões do departamento de l’Ain, sendo delimitada a este pelo Ródano e a sul e oeste pelo rio Ain.
.
A seguir, informações sobre as principais denominações de origem de Savoie e Bugey:
.
Bugey
AOP Vins de Bugey (nome da aldeia pode ser acrescentado)
– Uvas para tinto / rosé: Poulsard, Gamay, Moudeuse e Pinot Noir
– Uvas para branco: Roussette, Jacquére, Chardonnay, Pinot Gris e Aligoté
– Características: Tintos leves. Brancos leves, secos e meio-secos. Rosés secos.
– Também produzem mousseux e pétillant / espumantes.
.
Os vinhedos de Bugey estão espalhados de Bourg-en-Bresse a Ambérieu, e ao longo da margem direita do rio Rhône, de Seyssel a Lagnieu. As vinhas são plantadas em solo calcário, e tintos, brancos e rosés são feitos sob a AOP Vin de Bugey ou, no caso de Virieu-le-Grand, Manicle, Montagnieu, Machuraz e Cerdon, com o nome da aldeia. Dos vinhos varietais, a Gamay produz tintos vibrantes, fáceis de beber, enquanto a Moudeuse gera tintos de cor mais intensa, levemente amargos. Os rosés, sobretudo de Gamay ou Pinot Noir, são leves e refrescantes, tanto, aliás, quanto os brancos meio-secos. A AOP também pode ser usada para espumantes.
.
Produtores recomendados: Caveau Bugiste, Caveau du Mont July, Cellier de Bel-Air, Christian Beaulieu e Eugène Monin.
.
Vin de Savoie
AOP Vin de Savoie, AOP Vin de Savoie Mousseux, AOP Vin de Savoie Pétillant
– Uvas para tinto / rosé: Gamay, Mondeuse e Pinot Noir
– Uvas para Branco: Altesse, Chardonnay, Roussette, Jacquére, Chasselas e Bergeron
– Características: Tintos leves. Brancos secos, vivos. Rosés. Espumantes.
.
Denominação constituída de diversas séries de áreas separadas, a maior parte de encostas de pedras e morenas glaciais. Algumas vilas estão autorizadas a acrescentar seus nomes ao da appellation para tintos, brancos e rosés, de várias cepas. Em geral, vinhos cujos rótulos não referem Roussette, Altesse ou Bergeron foram feitos de Jacquére, cepa de amadurecimento tardio que gera o vinho mais leve de Savoie. Isso não se aplica às vilas de Marignan, Marin e Ripaille, que utilizam a Chasselas. Roussette é usada em sua própria appellation, Roussette de Savoie. A cepa Mondeuse faz tintos nas comunas de Chautagne, Cruet, Jongieux e St Jean de la Porte. A AOC Vin de Savoie também se aplica a alguns espumantes.
.
Produtores recomendados: Dominique Allion, Louis Magnin, Claude Marendon, Domaine Dupasquier, Michel Menetrey, André et Michel Quenard, Raymond Quenard,  Domaine Prieuré Saint-Christophe, Trosset e Varichon et Clerc.
.
Crépy
AOP Crépy
– Uva para branco: Chasselas
– Características: Brancos leves, secos, vivos.
.
Como muitos vinhos produzidos na vizinha Suíça, os de Crépy são das cepas Chasselas Roux e Vert: leves, florais e sutilmente efervescentes. Submetê-los ou não à fermentação maloláctica é questão polêmica. Os que não são mostram-se secos, vivos e frutados, com leve efervescência; os que são, mais encorpados e com sabor de amêndoas, podem ser guardados por um ou dois anos.
.
Produtores recomendados: Fichard, Georges Roussiaude, Grande Cave de Crépy e Mercier.
.
Roussette de Savoie
AOP especializada em vinhos brancos da casta Altesse.
.
Seyssel
AOC Seyssel, AOC Seyssel Mousseux
– Uvas para brancos não-espumantes: Chasselas e Roussette
– Uvas para brancos espumantes: Molette, Chasselas e Roussette
– Características: Brancos leves, secos. Espumantes refrescantes.
.
Oferece muitos e diferentes vinhos brancos, espumantes ou não, de vinhedos entre as vilas de Anglefort e Chanay. Os não-espumantes são feitos em grande parte de Chasselas, mas um caráter floral extra resulta de pelo menos 10% de Roussette. Seus espumantes, em que a Chasselas e a Roussette são coadjuvantes da cepa local Molette, têm mais repercussão que os não-espumantes.
.
Produtores recomendados: Clos de la Péclette, Maison Mollex, Royal Seyssel e Varichon et Clerc.
.
Crémant de Savoie AOC
A mais nova denominação de Savoie, instituída em 2014. Espumantes realizados pelo Método Tradicional, com as uvas Jacquère e Altesse.
.
Bibliografia:
– 1001 Vinhos Para Beber Antes de Morrer – Neil Beckett – Ed. Sextante
– Enciclopédia do Vinho – Vinhos, Vinhedos e Vinícolas – Hugh Johnson – Ed. Senac
– Vinhos Franceses – Robert Joseph – Ed. Zahar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *