Veja como foi a confraria especial Saragaço Cerveja Artesanal

A confraria Cervejas e Vinhos é composta por entusiastas da cerveja, cervejeiros caseiros, sommeliers e cervejeiros profissionais. O foco é desenvolver os sentidos e o conhecimento, através de estudos focados, conversas e muita troca de experiências. No dia  22 de setembro de 2019 em parceria com a Saragaço Cerveja Artesanal realizamos uma confraria focada no estilo Flanders Red Ale, todas produzidas aqui na cidade de forma caseira. Foram seis rótulos, sendo o primeiro uma produção com lote datado de 2018 e depois cinco versões do lote 2019.

Flanders Red Ale 2018
Iniciamos com a Flanders Red Ale 2018, primeiro teste do cervejeiro com o estilo. Foi maturada em fermentadores plásticos e acrescentado chips de carvalho, teve um ano de maturação para depois ser engarrafada. A cerveja apresentou um corpo leve, acidez baixa, boa presença dos ésteres provenientes da levedura e algumas características da madeira. Leve e fácil de beber não estava como deveria ser uma Flanders Red Ale clássica, possuía suas propriedades, mas todas abaixo do esperado.

Flanders Red Ale 2019
Após realizar o serviço já vimos a evolução da cerveja tanto na cor quanto nos aromas. A Flanders Red Ale 2019 foi a base utilizada para as próximas quatro cervejas que foram degustadas. Segundo o cervejeiro ocorreram ajustes na receita e sua maturação foi realizada durante um ano em barricas de carvalho francês. De cor âmbar clara, espuma de boa formação e fugaz, seu aroma era delicioso, trazendo notas amadeiradas, acéticas e esterificadas. Sentimos uma leve falta de corpo, estava bem seca e com poucas notas de caramelo. Uma cerveja com potencial e em comparação com a Flanders Red Ale 2018 uma evolução tremenda.

Flanders Red Ale 2019 Blend (Oud Bruin)
Aqui temos um blend com 25% de uma Oud Bruin e 75% da Flanders Red Ale 2019. Podemos dizer que foi extremamente benéfico a cerveja, trazendo corpo e estrutura. Todas as características contidas na base 2019 continuam com vivacidade, trazendo um corpo mais equilibrado e sabor duradouro. Acético domado, acidez equilibrada e fácil de beber!

Flanders Red Ale 2019 Acerola
O primeira cerveja com adição de frutas que degustamos foi a Flanders Red Ale 2019 Acerola. No aroma a acerola já dava o ar da graça, mas apareceu com vontade no sabor e aumentou ainda mais a acidez. Harmonizamos com chocolate branco que diminuiu a agressividade deixando a cerveja mais equilibrada.

Flanders Red Ale 2019 Ameixa
O cervejeiro utilizou quantidades enormes de ameixa e isso se comprovou já no aroma. A ameixa trouxe um charme a cerveja e seu sabor me remeteu como se estivesse mordendo a fruta. Achamos que a fruta estava se sobressaindo, uma quantidade menor ou um tempo maior de maturação deixará a cerveja ainda melhor.

Flanders Red Ale 2019 Framboesa
A última e voto unânime como a melhor da noite foi a Flanders Red Ale 2019 Framboesa. A fruta entrou em perfeita harmonia com a base dando corpo e equilibrando a acidez, acético domado, aromas da fruta vívido, ésteres presentes, seca e muito sabor. Estava perfeita e bebemos com sorriso no rosto! Só podemos agradecer pelo esforço e dedicação da Saragaço Cerveja Artesanal em nos proporcionar as cervejas degustadas.

Abaixo o ranking da noite por Cervejas e Vinhos:
1 – Flanders Red Ale 2019 Framboesa
2 – Flanders Red Ale 2019 Blend (Oud Bruin)
3 – Flanders Red Ale 2019 Ameixa
4 – Flanders Red Ale 2019
5 – Flanders Red Ale 2019 Acerola
6 – Flanders Red Ale 2018

Ao final dos encontros sempre rolam cervejas bônus que os confrades levam para pegar um feedback dos participantes, essas servidas as cegas para testar o conhecimento da galera. O cervejeiro Evandro Garcia (Saragaço Cerveja Artesanal) levou uma Belgian Blond Ale que estava cristalina e deliciosa. O cervejeiro Otavio Pereira (Saloon Brew / co-autor do Cervejas e Vinhos) levou uma de suas experiências, a Brett Hop Saison, de corpo médio alto e turva, fortes aromas cítricos, fenólicos e condimentados, muito esterificada foi fácil de beber. O cervejeiro Vitor Doneuxle levou duas mostras, a primeira sua famosa Catharina Sour de Jaca que estava leve e refrescante, e na sequência abrimos uma American Pale Ale com levedura Kveik, que trouxe aromas cítricos de laranja, leve turbidez e seca ao final. Finalizando a confraria pegamos duas cervejas da Cervejaria Bruxa, a Gin Gresette, uma colaborativa entre a Bruxa e a Locomotive Brew, onde o foco é trazer os botânicos do Gin equilibrados com a base leve da Grisette; e a Bruxa #27, uma Dark Sour Season que consegue trazer uma acidez característica com os sabores de malte tostado e uma pegada final de Saison.

Saragaço Cerveja Artesanal
Untappd: www.untappd.com/w/saragaco-cerveja-artesanal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *